shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0.00
View Cart Check Out

Um clube com história e glória

A União Desportiva de Santarém é um clube carregado de história  por onde já passaram imensos jogadores que riram, choraram, comemoraram, que viveram o União. Como tal quisemos perceber mais destas histórias, vivências, conquistas, títulos e por isso fomos falar com alguns dos ícones/ex-jogadores que, de alguma forma, fizeram parte deste clube e, que agora, contam-nos na primeira pessoa as suas lembranças e memórias.

No ano em que o União nasceu, em 1969, João Barroca, saiu da Académica de Santarém e ingressou pelos juniores do União e por lá ficou. Conta que no seu primeiro ano foram campeões e os restantes anos foram maravilhosos e muito bem passados, em que alternavam entre a II e III divisão sempre com boas classificações, eram uma família. No ano de 83/84, quando defrontaram o Académico de Viseu, João, relembra ainda que os festejos foram enormes, ” uma vinda louca na camioneta a festejar, chegar a Santarém e festejar”. Já Fernando passou por vários clubes mas foi o UDS que o marcou pela grandiosidade do clube na altura, pela amizade e pela camaradagem que ainda hoje existe. Acrescenta ainda que, este ano, terá de ser a equipa a trazer e incentivar as pessoas a virem ver os jogos.

 

Luís e Rogério começaram por nos falar dos campos cheios, do apoio que tinham e das amizades. Referem ainda que foi com muito trabalho e humildade que alcançaram as vitórias pois a equipa era maioritariamente constituída por jogadores de Santarém.

 

 

Armando e o José relembraram-nos a final da III Divisão de qual foram protagonistas já que foram responsáveis pelos golos marcados. José confessa que até o arrepia falar destes tempos, tinha 21 anos, era novo, e disputar uma afinal era uma grande responsabilidade. Lembra-se, como se fosse ontem de marcar o primeiro golo, conta, ” Foi uma bola que o Albano entra dentro da área sob o lado direito, depois há um defesa que sai-lhe no caminho e ele mete-me a bola para o lado esquerdo, que venho a entrar na área. Primeiro remate e meti a bola lá na gaveta, lá mesmo no cantinho”. Armando foi responsável pelo segundo golo, conta que resultou de um livre do meio campo de António Medeiros, e que poderia ter marcado o terceiro golo, resultante também de um livre de António, mas que a bola bateu na trave.

 

Mas a história do união não fica por aqui, Mário Madeira, o sócio nº1 do UDS, diz que se orgulha pelo clube mas que sofre pelo União Desportiva de Santarém não estar no seu melhor mas acredita que está num bom caminho apesar de ter começado, este ano, tudo do zero. Passou vários momentos com o União, vibrou com as suas vitórias, sofreu com as suas derrotas e há coisas que nunca esquece.

 

 

Apesar de se encontrar afastado do clube, Joaquim Martins, nunca se esquece do união e deseja que o clube chegue ao ponto onde já esteve em determinadas épocas. Fala ainda do companheirismo, do apoio e da grande família de qual fez parte, e conta que apesar de se estar mais desligado há coisas que nunca se esquecem e o União Desportiva de Santarém e os momentos que lá passou sem dúvida alguma são um deles. José Bastos, ao contrário de muitos outros, só jogou no clube 2 anos mas garante que foi o suficiente para ter boas memórias e vivenciar o espírito vivido na época.

 

União Desportiva de Santarém